domingo, 31 de agosto de 2008

Chaminé do Palácio das Necessidades

Lisboa - chaminé do Palácio das Necessidades

sábado, 30 de agosto de 2008

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Galo nas Torres de Lisboa







Galo nas Torres de Lisboa: da Ajuda e do Palácio das Necessidades

Fotografado o galo na Torre da Ajuda, lembrei-me de um outro galo de campanário que ainda não tinha visto de perto. Falo do que se vislumbra na torre sineira do Palácio das Necessidades, onde está instalado o Ministério dos Negócios Estrangeiros desde 1916.

Subi ao Largo do Rilvas, passeei-me pelo Largo das Necessidades e apreciei a Tapada, com os seus jardins, agora um pouco pouco abandonados. Não admira pois que os únicos visitantes na tarde de um Domingo soalheiro fosse apenas eu e um casal que brincava com os filhos...

É pena que um jardim com aquela variedade de árvores majestosas, lagos praseirosos, estatuária e edifícios (vandalisados) esteja agora votado ao quase esquecimento da edilidade. A Junta de Freguesia dos Prazeres tem lá uma presença simbólica, mas não dispõe de meios para fazer uma manutenção adequada daquele espaço idílico. Um jardim com potencial para atrair muitos visitantes, assim a Câmara Municipal de Lisboa a isso se decida ... com ou sem mecenato.

Volto ao tema que me levou a essas paragens: o galo.

Aqui http://www.monumentos.pt/Monumentos/forms/000_A.aspx dizem-se montes de coisas sobre as duas Torres, nomeadamente que a das Necessidades é mais antiga (1745) e até inspiradora da Torre da Ajuda (1792), e quem sou eu para duvidar.

Mas que o galo das Necessiades tem um ar muito mais modernoide que o da Ajuda, isso afianço eu que os fotografei e aqui mostro a quem quiser ver. Uma visita aos locais seria aconselhável. Tiravam dúvidas e apreciavam parte do património de Lisboa

Para melhor referência - sobretudo para quem não conhece os locais - informo que duas primeiras fotografias são da Ajuda, seguindo-se duas das Necessidades.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Chaminé da Ericeira

Ericeira - Chaminé junto à praia

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

(10) "Contrabandistas", nome de Rua




Lisboa - Rua e Beco dos Contrabandistas
Freguesia: Prazeres
Início do Arruamento em: junto n º 17, do Beco dos Contrabandistas
Fim do Arruamento em: Rampa das Necessidades
Data de Deliberação Camarária: 11/05/1887
Data de Edital: 18/05/1887

Historial:
Foi fixado na memória de Lisboa em data que se desconhece. No entanto, podemos afirmar com segurança que o topónimo é anterior a 18/05/1887 já que por Edital municipal dessa data foi atribuida a designação de Rua dos Contrabandistas à artéria que se inicia junto do n º 17 do Beco dos Contrabandistas e que era vulgarmente designada por Beco dos Contrabandistas ( de acordo com a inf. nº 8125 da Rep. de Urb. e Expropriações de 27/11/57, a fls. 3 do processo nº 50786/1957). A única referência encontrada num olisipógrafo sobre esta artéria é de Norberto Araújo (Peregrinações em Lisboa, vol.IX, pp.15): «Êste prédio da esquina da Praça da Armada - edifício velhíssimo, podre, também do património do Estado - desde longos anos tem servido de aquartelamento . Até Abril de 1922, esteve aqui o 3º esquadrão da Guarda Republicana; hoje serve de depósito de material do aquartelamento da mesma Guarda. Encostam-se-lhe modestos casebres de Alcântara velha, e a norte corre o pequeno Largo dos Contrabandistas, com suas casitas de um pitoresco côr de rosa do princípio de oitocentos, e superiormente, na Travessa do sacramento, um renque de habitações uniformes que pertenceram à Casa Real.»

Vejamos ainda o que o site da CMLIsboa nos dias sobre o modus faciendi para a atribuição do nome das artérias da capiltal:

"Em Lisboa, os nomes das ruas são atribuídos mediante proposta aprovada em sessão da CML.Esta proposta tem de ter antes o parecer favorável da Comissão Municipal de Toponímia, após auscultação da opinião da Junta de Freguesia respectiva.Sempre que a CML inaugura um novo arruamento, publica uma brochura que conta a história da figura, facto, instituição ou tradição local que está a ser homenageada na toponímia de Lisboa."

Será que entendi bem? Em Lisboa homenageiam-se os contrabandistas?

Penso que vai sendo tempo de alterar o nome destas artérias.

Quem lá reside, e eu falei com com alguns, não terá motivos para se sentir confortável ao exibir este nome no seu endereço pessoal...

domingo, 24 de agosto de 2008

(9) Triste-Feia

Lisboa - Triste-Feia (Alcântara)


Nome inusitado para uma Rua, que não chega a ser...

A única coisa de registo que ali encontramos, para além do inusitado do nome, foi uma cervejaria (vide foto acima) que apregoava ter saborosos mariscos.

Vejamos o que o site da Câmara Municipal de Lisboa nos diz sobre a origem deste nome.

Freguesia: Prazeres
Início do Arruamento em: confluência da Rua Maria Pia, Rua da Costa e Rua Prior do Crato.
Historial:
Segundo Norberto Araújo, esta era a designação popular desta artéria que foi depois municipalizada e que evoca a moradia nesta ladeira de uma rapariga pouco favorecida pela beleza. É um topónimo antigo cuja data de atribuição se desconhece. Para esclarecer o significado do topónimo citamos Appio Sottomayor na sua comunicação às 3ªs Jornadas de Toponímia de Lisboa - «A Toponímia das Ruas que o não são»- : « E ficou para o fim aquela rua sem indicação de rua que tomo como a mais reveladora da delicada poesia natural que brotava de quem punha nomes aos sítios lisboetas. Fica esta em Alcântara, paredes meias com a estação de Alcântara Terra e é irmã siamesa da Rua da Costa. Chama-se, muito singelamente, Triste Feia. O nome desencantado teve, no entanto, honras de citação pelo poeta António Nobre, quando este escreveu: 'Ó Lisboa das ruas misteriosas!/ da Triste Feia, de João de Deus,/Beco da Índia, Rua das Formosas/Beco do Fala-Só (os versos meus...)'. Da mulher que foi a Triste Feia não se sabe o nome exacto nem , rigorosamente, o tempo em que viveu. O que se sabe ao certo é que foi o povo, foram os seus vizinhos quem imortalizou as suas características. Diz a tradição que ali moraram três irmãs, sendo duas delas raparigas normais e com o viço próprio dos verdes anos; a terceira, porém, possuía feições tão pouco agradáveis à vista que os rapazes que passavam em busca de conversadas fugiam comentando : 'que focinho de porca!', 'que medonha seresma!'. Claro que as irmãs casaram e ela ficou sozinha, vendo chegar a velhice e agravar-se a fealdade. Mas, ao que rezam as crónicas, a simpatia nada tinha a ver com os atributos físicos. Assim, muita gente vencia a relutância por um ser tão feio e conseguia entabular conversa e até quase travar amizade. Mas a vida da pobre era passada quase sempre sentada à sua porta, numa melancolia doente. O certo é que morreu - e ninguém a esqueceu. Ficou o sítio conhecido pelos desagradáveis atributos da mais notável moradora. E Triste Feia se manteve até hoje, sem o designativo de rua que não precisa.»

sábado, 23 de agosto de 2008

Chaminé na Ericeira

Ericeira - Praceta da Praia do Matadouro

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Espelho de Fechadura

Lisboa - Calçada da Ajuda - espelho de fechadura

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

"Entalado" 7 - Trv. do Abarracamento de Peniche

Lisboa - Travessa do Abarracamento de Peniche (ao Princepe Real)

terça-feira, 19 de agosto de 2008

domingo, 17 de agosto de 2008

Mesquita Central de Lisboa

Lisboa - Campolide (à Praça de Espanha)
Principal mesquita da Comunidade Islâmica de Lisboa - inaugurada em 22Jun2001

sábado, 16 de agosto de 2008

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Ilha do Farol (Ria Formosa - Algrave)

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Ilha do Farol (Ria Formosa - Algarve)

domingo, 10 de agosto de 2008

Olhão - "plantação" de chaminés em açoteia algarvia

sábado, 9 de agosto de 2008

Olhão - Chaminé de antiga fábrica de conservas com ninho de cegonha

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Chafariz do Poço das Bombas - Olhão

Olhão - Av. da República - Chafariz do Poço das Bombas

quinta-feira, 7 de agosto de 2008


Ilha da Culatra (Algarve)

quarta-feira, 6 de agosto de 2008



Ilha da Culatra (Algarve)

terça-feira, 5 de agosto de 2008



Ilha da Culatra (Algarve)

segunda-feira, 4 de agosto de 2008



Ilha da Culatra (Algarve)

domingo, 3 de agosto de 2008



Ilha da Culatra (Algarve)

sexta-feira, 1 de agosto de 2008